terça-feira, 3 de agosto de 2010

Poderia ser tão facil,

mas eu te deixei ir, poderia, mas meu orgulho, meu ego, meu medo de ser feliz impediram. Eu estou  sofrendo aki com o meu amor eterno e é só isso que me resta.
 Vivo o eterno anoitecer da minha vida, mas quem me dera ela fosse bonita como a noite. Desde que você se foi, fez-se noite em meu viver, mas não estrelas e nem lua, apenas a infinita escuridão.
 Não encontro o meu caminho e nem uma razão pela qual viver, talvez a (falsa) esperança de um dia te ver de novo, te abraçar como na primeira vez...
 Pelo menos eu tive a chance de dizer-te tudo, olhar em seus olhos e dizer adeus, disso nunca me arrependerei. Na verdade nunca me arrependerei de nada na minha vida, pois cada  decisão me levou até ele ♥.
 É idiota chorar agora, pois quando a vida lhe oferece um sonho maior do que todas as suas expectativas é irracional se lamentar quando ele chega ao fim, por mais que lhe custe a vida.
 Deveria ficar feliz pelo destino me colocar em seu caminho, mas fico triste por não ter aproveitado melhor a minha chance, de não ter olhado em seus olhos e dito tudo. Te amo. Mas agora eu sei, a vida é um instante que não volta outra vez e amanha não poderei fazer o que poderia fazer ontem.
 Tudo aquilo não foi nem o mais belo dos sonhos e nem o pior dos pesadelos, foi tudo veerdade.
 Eu não viveria minha vida sem você, eu não existiria num mundo onde você não existisse, tudo se resume a tudo: você.
        Estas felicidades violentas tem fins violentos. Falecendo no triunfo como fogo e pólvora que num beijo se consomem.

Carta criada por Luana no dia 22.06.2010 (não foi entregue)
:*

Nenhum comentário:

Postar um comentário