quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Poesias sem fundo.sem rima.'

Escrevo poesias sem fundo

minhas mais amargas lembranças
passado que me atormenta
rodeado de promessas de uma vida melhor
o tempo vai se passando e ao meu redor e estou só
o frio bate na minha face e seca minhas lágrimas de sangue
o amor que sento machuca - me
só a dor ficou em meus ombros
Não sei o que fazer não consigo sequer respirar
pobre do poeta que vive sem amor
triste e fria é sua alma
Esperanças despedaçadas
dilaceradas a mais ilustre das palavras
Sigo sem destino pois não tenho caminho
vou perambulando mendigando amor
as pessoas por mim vão passando
iludem maltratam meu pobre coração
que hoje de frio congelado
endurecido como uma pedra
vai agonizando com a indiferença
Agora sem fundo em rimas sem versos
escrevo a triste dor de alguém que muito ama
mas só conheceu a dor
julgado precipitadamente
sua aparência seu semblante o condena
marcas e espinhos de paixão
de amores sofridos sonhos e desilusão
hoje o que resta é uma carcaça sem sentimento
uma palavra um triste lamento
seu amor renegado
seu mais belos versos desperdiçados
triste destino de um sonho vazio
um coração pisado e machucado
poeta vadio
alimenta-se de ilusões
triste destino .

Viverei para sempre, para amar-te e te esperar.
Me cortaram as asas e agora elas sangram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário