quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Nada me resta

Nada restou daquele sonho de menina
que olhava para frente tentado enxergar seu destino
aquele alegre sorriso escapou
e minha face só saudades ficou

Nada restou da esperança
aquela que sempre acompanhava essa pobre criança
onde quer que esteja se perdeu virou lembrança

Nada restou daquele último suspiro
que sempre dava quando cansado sorrindo
lembrava de quanto sonhei em ser feliz

Nada me restou de alegria porque meu amor
hoje virou-me as costas
amei o quanto teve forças
lutei até perdê-las para a sua indiferença.
mas isto esta em mim e nem vc e nem o tempo ira tirar

Pobre menina que um dia quis ser feliz
a felicidade não pode conquistar
viveu uma vida rodeada de sonhos
se iludiu e morreu de tanto chorar
porque meu amor não foi suficiente (mesmo sendo maior que eu)
para demonstrar o quanto dói sua ausência
e hoje agonizada não consigo me olhar no espelho
a derrota de um corajoso
dói mais do que a derrota de um covarde

Eu vou lutar por você até o meu (ou o seu) coração parar de bater.

Nenhum comentário:

Postar um comentário