quinta-feira, 17 de novembro de 2011

17 meses.

Você sempre será aquele que partiu.
Não adianta tentar mais, nada mais a se perder, eu vou tentar não olhar para trás. Eu nunca mais serei a mesma, como eu era antes disto, parte de você ainda permanece, apesar de fora de foco, você é apenas um lugar que eu fui e eu não quero mais voltar. Estou tão feliz, tão leve, tão livre por ter me livrado desse fardo, ter deixado tudo para tras, finalmente poder viver sem culpa ou arrependimento. Estou feliz por ser mais forte e ter superado tudo que não me deixava partir, mas agora estou bem. Mas nunca esqueça que um dia eu amei você, mesmo que tenha acabado, mesmo que eu esqueça. 
Eu lamento por isso, mas acho que no fim é sempre assim. Mas sempre se lembre o quanto você significa. 

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Desculpas.

Eu sinto falta daquela garota que acreditava num "Eu te amo" ou "Eu morreria por você" ou "Para sempre" ou "Você é a razão da minha vida". Enfim, eu sinto falta de acreditar. Eu te amei, mas será que chegou a hora daquela garota crescer? Bem, ela já cresceu, mas não queria crescer, ainda queria acreditar num Final Feliz, mas ela aprendeu que finais nunca são felizes, ela percebeu que seu sonho, seu amor, não teve nem um começo, porque só é verdadeiro quando é vivido, quando é reciproco. Quando é real.
Vivi de sonhos e esperanças vazias. Esperei por tanto tempo na busca de algo real, tanto tempo que me perdi, caminhei até meus pés sangrarem e agora estou presa numa brecha em meu próprio sonho. Percebi que não sinto mais, percebi que não sou a mesma. Me falaram que cresci, que a única coisa em que realmente acreditava, que me agarrava para não deixar ir embora, deixou-me e eu não percebi, me deixou quando eu disse Adeus. Eu queria não me sentir tão vazia e fria, queria você aqui para me fazer acreditar novamente.
Desculpe-me por tudo, ou só pelo nada. Mas, acima de tudo saibas, Eu Te Amo, agora, não sei, acho que apenas perdi. (Logo 17 meses)